•  

Siga-nos:

Sugestões de como os pais podem ajudar

Sugestões de como os pais podem ajudar:

• Lendo atentamente todas as comunicações enviadas pela Escola e comentando-as com seus filhos;

• Participando de todos os eventos relacionados com seu filho, com a classe de seu filho e com a Escola como um todo;

• Ajudando seu filho (a) a organizar o seu dia, para que venha à Escola com um bom estado de espírito. Para tanto faça que ele tenha uma boa noite de descanso, com horas suficientes de sono, acorde com tempo suficiente para se vestir, tomar seu café da manhã ou almoço com calma e tenha horários regulares e bem distribuídos para fazer a tarefa de casa, brincar (incluindo tempo de T.V.) e outras atividades;

• Utilizando a agenda de seu filho para ajudá-lo na organização de suas responsabilidades escolares, bem como para receber ou mandar comunicados para a Escola;

• Providenciando para que seu filho tenha sempre o uniforme completo e adequado, tanto para o verão quanto para o inverno;

• Contribuindo para que ele tenha o hábito de arrumar sua mochila antes de vir para a Escola, para que ele não esqueça suas tarefas ou materiais necessários para as aulas;

• Interessando-se por aquilo que estiver aprendendo na Escola, comentando, discutindo, acrescentando informações, providenciando fontes de informação;

• Ajudando os professores e coordenadores de seu filho a conhecê-lo melhor. Para isso, sempre que sentir necessidade, agende um encontro;

• Participando junto com seu filho de momentos prazerosos de leitura em casa;

• Contribuindo em algumas atividades da sala de aula de seu filho, partilhando sua experiência profissional, seu hobbie, seus talentos. Entre em contato com a professora para compartilhar sua disponibilidade;

• Apoiando sempre a criança em seu caminho pessoal dentro da aprendizagem. Temos que colocar aos nossos filhos desafios, mas nunca maiores que suas possibilidades, respeitando seu ritmo, evitando comparações com outros filhos ou crianças, evitando realizar nelas expectativas que temos ou tivemos para nós;

• Ajudando na lição de casa. Quando o assunto é lição de casa, fala-se muito em lugar adequado, escrivaninha organizada, horário combinado. Mas o fato é que para algumas crianças e pais, este momento transforma-se em um grande conflito. Algumas sugestões:

1. Se a criança está insegura, com baixa-estima, poderá apresentar dificuldades para realizar a tarefa, pois com medo de errar ou de não corresponder às expectativas que ela julga ser da professora, ou seja, não quer decepcionar a sua professora e “estragar” a imagem que a professora tem dela. Neste caso, a criança, está precisando ouvir da professora e dos pais juntos, num encontro especialmente marcado para isto, o que se espera dela e que ela será igualmente amada mesmo não acertando toda a lição;

2. Evitar comentários críticos: sem perceber, fazemos comentários críticos sobre o trabalho da criança. Ela, por sua vez, já está sensível com suas dificuldades e se sente pressionada e irritada. Evite dizer: “Essas contas estão erradas, você ainda não sabe fazer contas de multiplicação?” Procure dizer: “Essa conta deu 235. Me mostre como chegou a esse resultado”. Se for apenas um erro de cálculo (tabuada), você pode ajudá-la a perceber, mas se for uma dificuldade na compreensão da operação e isto for uma constante, oriente a  criança a procurar a professora;

3. Não se preocupe tanto com o produto. Nesta faixa de escolarização as crianças estão em processo de aquisição de conhecimentos e habilidades básicas que para nós adultos são óbvios, mas para elas não. Se a criança está cometendo, por exemplo, alguns erros ortográficos, incentive-a, ajude-a a ter à mão um dicionário e a saber consultá-lo;

4. Espere seu filho pedir ajuda. Não há necessidade de intervir na lição de casa quando nem seu filho, nem a professora pedem a sua ajuda. O melhor é ajudar só quando a criança pede ou a professora faz uma orientação de ajuda específica. A lição de casa é território da criança. Ela deve sentir-se responsável, dona da situação;

5. Esteja disponível. Algumas vezes a criança é capaz de fazer a lição sozinha, mas assim mesmo solicita ajuda ou quer a presença dos pais. Você pode encorajá-la dizendo: “Eu vou ajudá-lo na primeira proposta e as outras você tenta fazer sozinho.”
Alguns pais ficam ansiosos quando a lição é muito difícil ou ficou para mais tarde e não foi feita. E aí ditam para a criança o que deve ser feito ou fazem para ela. Nesse caso, confie na capacidade de seu filho para sofrer as consequências de seus atos. Você pode dizer: “É melhor fazer o que consegue e falar com sua professora”.

6. Estimule a criança a falar sobre as suas dificuldades com a professora. No caso da lição que não foi feita, ajude-o a assumir as consequências dizendo: “A lição foi ficando para depois e não deu tempo. Converse com sua professora e veja o que ela fala”;

7. Caso seu filho tenha, com frequência, dificuldades como essas, fale com a professora para que juntos Escola-Família possamos levantar algumas causas e ações necessárias.
A qualidade desses poucos momentos, com certeza, sobrepujará a quantidade de tempo que nos dias de hoje sabemos ser tão difícil.

 

Para saber mais:

Lição de casa - que prática é esta?


Todos os direitos reservados • ECC • Desenvolvido por W2F Publicidade