Pular para o conteúdo

Por Gustavo Sales (Analista de Gestão de Pessoas)

A saúde do homem é um tema que merece nossa atenção e cuidado! Sobretudo porque, infelizmente, em nossa cultura e sociedade, é muito raro que os homens conversem sobre esse assunto.

Em geral, aos homens é ensinado que não podem chorar, não podem demonstrar sentimentos, que precisam sempre ser fortes e que não podem, em circunstância alguma, demonstrar “fraqueza” ou pedir ajuda.

É preciso rompermos com esse padrão assumindo uma postura de cuidado que nos mantenha atentos aos aspectos físicos, emocionais e sociais que afetam a saúde dos homens.

Que tal, então, começarmos com algumas questões simples?

Por exemplo: para manter uma boa saúde, sabemos que é fundamental adotar práticas saudáveis. E, nesse caso, como estão as suas práticas? Tem feito exercícios físicos como caminhadas ou esportes? E a alimentação, como está, heim?

Mas, para além disso, também devemos estar atentos a fatores de risco que podem afetar a saúde do homem. O consumo excessivo de álcool e tabaco é dos fatores mais recorrentes. E há ainda outros que precisam ser considerados! O sedentarismo, o estresse e a falta de cuidados com a saúde mental são alguns exemplos. Portanto, é fundamental nos conscientizarmos sobre os perigos desses hábitos e incentivar a busca por ajuda profissional, inclusive de forma preventiva.

E, por falar nisso, você sabia que existe uma Política Nacional de Saúde do Homem? Pois é! E o objetivo principal dessa política é, justamente, promover a melhoria das condições de saúde da população masculina brasileira, contribuindo de modo efetivo, para a redução da morbidade e da mortalidade dessa população, abordando de maneira abrangente os fatores de risco e vulnerabilidades associados.

E você, homem, já conversou com algum amigo sobre questões relacionadas à saúde de vocês? Que tal puxar essa conversa?

Confira o vídeo gravado pelo médico urologista João Caprini.