Pular para o conteúdo

Por Lilian R. N. Belo e Limerci Alamo

O período de férias é sempre muito aguardado para dar aquela pausa na rotina corrida!

É um período onde a hora de dormir e acordar fica mais flexível, as refeições também têm horas e cardápios mais descontraídos.

Tem viagens, brincadeiras, casa dos amigos, dos avós, dos tios… tempo para relaxar um pouco.

Agora já retornamos às atividades escolares normais, e com isso, a rotina regrada exige que todos se adaptem novamente às responsabilidades e agenda escolar.

Os alunos menores, em especial, podem ainda sofrer com a ansiedade de separação dos pais, após passar um longo período com eles nas férias.

É natural que possa surgir uma ansiedade para o retorno e continuidade do ano letivo nos primeiros dias, mas passado certo tempo do retorno, se o quadro persiste, é preciso atenção e cuidado.

Algumas crianças ou adolescentes conseguem expressar o que sentem verbalmente, outras não, e podem expressar de formas diferentes, apresentando sintomas como dores de barriga e de cabeça, ânsia de vômito, choro sem motivo, agressividade, alterações no sono e de alimentação.

Para os pais, também pode ser um momento de certa ansiedade para deixar tudo preparado. Do uniforme em dia ao cardápio da lancheira, passando pela reorganização dos horários da escola com outras atividades que os filhos passam a ter.

Como auxilia-los para um retorno mais tranquilo?

  • Acertar a rotina do sono: ir para cama cedo é importante porque, quando escurece, o organismo libera a melatonina, o hormônio do crescimento. A recomendação dos especialistas é de que as crianças devem ir para a cama por volta das 20h, todos os dias. Além disso, os pesquisadores afirmam também que contribui para ter mais facilidade social e emocional na escola. Uma criança bem descansada também tem um humor melhor e maior disposição para aprender e se dedicar. Importante manter televisão, celular e tablet, desligados pelo menos 30 minutos antes de dormir pois os aparelhos podem deixar as crianças agitadas e atrapalhar a
    chegada do sono. Torne este, mais um momento de vínculo afetivo na rotina.
  • Alimentação: inúmeros estudos mostram os benefícios das refeições em família. Uma das pesquisas mais recentes sobre o assunto, feita pela Universidade de Montreal (Canadá), por exemplo, mostrou que as crianças que rotineiramente reuniam-se à mesa com os familiares eram mais ativas e consumiam menos alimentos gordurosos, além de serem menos agressivas. Por isso, na volta às aulas inclua o hábito de fazer pelo menos uma refeição ao dia com todos da casa. E, naquele momento, nada de cobrar a lição, falar do trabalho escolar pendente ou dar bronca por causa do boletim. Isso vai desviar o foco não apenas dos alimentos, como
    também dessa oportunidade de troca em família.¹
  • Organização: para retornar com mais tranquilidade, que tal já deixar algumas coisas organizadas para o dia seguinte e evitar um pouco o corre corre logo pela manhã? São muitas as tarefas que filhos e pais têm de fazer logo cedo. Para não se atrapalhar, o jeito é deixar o que puder já pronto no dia anterior (como a mesa posta parcialmente e a mochila arrumada, por exemplo).
  • Lancheira: o planejamento para a semana do cardápio da lancheira pode auxiliar a manter uma lancheira com opções mais saudáveis e sem tantos alimentos processados, as frutas são práticas e ótima opção para compor o cardápio. Pães, bolos e patês caseiros também são boas ideias.
  • Material escolar: é bom tirar um tempo para verificar se o material escolar está em ordem e ver se há algum tipo de tarefa. Fazer isso junto com os filhos enquanto relembra as coisas legais que eles produziram ao longo do semestre anterior para que eles entrem no clima de volta às aulas.
  • Estudo em casa: criar um espaço de estudo em casa, livre de distrações e com boa iluminação. Isso ajudará na concentração das tarefas escolares. É importante ter uma agenda focada para não sobrecarregar a criança e manter tempo livre para aproveitarem como quiserem.
  • Revisões periódicas: reservar tempo para revisar os conteúdos estudados regularmente. Isso ajudará a fixar o conhecimento e a se preparar melhor para avaliações e provas.
  • Conexão: mantenha presença e uma conexão saudável, através de diálogos empáticos e/ou abraços amorosos. Algumas vezes é difícil expressar o que realmente sentimos, a aceitação pode colaborar para que isso aconteça. A relação familiar pode ser leve e ao mesmo tempo diretiva. O bom humor também ajuda a distanciarmos das situações difíceis para que ao longe possamos observa-la com maior clareza. O desenvolvimento de uma relação familiar saudável e enriquecedora é possível e se faz necessária.

Que esse segundo semestre possa ser leve e com muitos objetivos alcançados!

Referências:
1 – Revista Crescer – Revista Crescer: 18 dicas para volta às aulas sem estresse – publicação em 23/01/2019, disponível em: https://revistacrescer.globo.com/Criancas/Escola/Volta-as- aulas/noticia/2019/01/18-dicas-para-volta-aulas-sem-estresse.html