Pular para o conteúdo

Setembro Amarelo

Dizer Sim a Vida, apesar de tudo.

“Quando alguém pensa em suicídio ela quer tirar a dor e não a vida.
Setembro Amarelo é um mês que merece a nossa atenção, pois o Brasil tem o maior número de pessoas diagnosticadas com depressão na América Latina, segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde).
Depressão é uma doença como qualquer outra, não é fraqueza.
É preciso ser forte para pedir ajuda, por isso é necessário um esforço conjunto de toda sociedade para estarmos sensíveis aos sinais de alerta.”

O livro “Em Busca de Sentido” (também conhecido como “Man’s Search for Meaning”) de Viktor Frankl é uma narrativa autobiográfica. No livro, o psiquiatra relata suas experiências nos campos de concentração nazistas e explica seu método terapêutico, a logoterapia, que o ajudou a sobreviver. A logoterapia, uma escola de psicoterapia que enfatiza a busca de sentido na vida como uma força motriz fundamental para a existência humana. A frase “dizer sim à vida, apesar de tudo” está intimamente ligada ao contexto do livro e à filosofia de Frankl. Embora o livro não trate especificamente do tema do suicídio, ele aborda questões profundas relacionadas ao significado da vida e à busca por uma razão para viver. Podemos explorar alguns paralelos entre o livro e o tema do suicídio: 



Sentido da Vida: No livro, Frankl argumenta que uma das principais necessidades humanas é encontrar um sentido ou propósito na vida. Ele sustenta que mesmo nas circunstâncias mais adversas, como um campo de concentração, as pessoas podem encontrar significado em suas vidas, o que as ajuda a sobreviver. Esse conceito pode ser aplicado ao suicídio, uma vez que muitas pessoas que consideram o suicídio podem estar enfrentando uma crise de sentido ou propósito.

 

 

 

 

Desespero e Desumanização: Frankl descreve como a falta de um propósito na vida pode levar ao desespero e à desumanização. Nas situações de desespero, as pessoas podem se sentir alienadas, vazias e sem esperança. Isso pode ser uma experiência compartilhada por aqueles que consideram o suicídio, pois a sensação de desespero pode ser avassaladora.

 

 

 

 

Resiliência e Força Interior: Frankl enfatiza a importância da força interior e da resiliência psicológica. Ele argumenta que, mesmo quando as circunstâncias são extremamente difíceis,as pessoas têm a capacidade de escolher como responder a essas circunstâncias. Essa ideia pode ser relevante para indivíduos que lutam contra o pensamento suicida, pois sugere que, mesmo nas situações mais sombrias, há espaço para escolher a esperança e a perseverança.

 

 

 

 

Apoio Social: Frankl também destaca a importância do apoio social e das conexões humanas. O apoio de outros prisioneiros nos campos de concentração desempenhou um papel vital na sobrevivência de muitos. Isso ressalta a necessidade de oferecer ajuda e apoio a pessoas que estão lutando contra o suicídio, pois o isolamento social pode aumentar o risco.

 

 

 

Embora “Em Busca de Sentido” não aborde diretamente o tema do suicídio, oferece uma perspectiva poderosa sobre como encontrar significado e propósito mesmo nas situações mais adversas. Esses princípios podem ser aplicados no contexto do suicídio para ajudar as pessoas a encontrar esperança, apoio e razões para continuar vivendo. No entanto, é importante ressaltar que o suicídio é um assunto complexo e sensível, e as pessoas que estão em risco devem ser encorajadas a procurar ajuda profissional imediatamente.

 

Dizer “sim à vida, apesar de tudo” significa aceitar a realidade como ela é, encontrar um propósito mesmo nas piores situações e continuar buscando sentido, esperança e propósito.

 

Referência: Frankl,Viktor. Em busca de Sentido. São Paulo, Editora Vozes.

Pesquisa:Limerci Del`Alamo – Coordenadora da Comissão de Saúde da ECC